Buscar
  • Daniel Danguy

Amor genuíno e amor apegado: qual a diferença?

Tem um vídeo na internet de uma monja, a Tenzin Palmo, que ficou famoso há algum tempo. Ela fala sobre como confundimos o apego com amor. Sobre como achamos que amamos alguém, mas só queremos ele ao nosso lado se cumprir toda a lista de pré-requisitos.



Aí você pode pensar: mas é claro, só uma monja mesmo pra ter esse tipo de pensamento.


Claro, a gente só enxerga aquilo que aprendeu em algum momento. Fomos educados que compartilhar a vida com alguém serve apenas pra suprir os nosso desejos insatisfeitos. Inclusive na própria psicologia há teorias que falam isso: tudo o que vivemos é apenas uma busca incessante para saciar o nosso ego.


E realmente, a maioria dos humanos vive assim. Mas como isso é limitado, não? Será que não há alguma maneira de exercitarmos o amor que vai além dos rótulos egoístas? Será que é possível se relacionar oferecendo a liberdade e a permissão para o outro ser como é?


Haja autoconhecimento e discernimento!

12 visualizações
 
  • Instagram
  • Facebook

©2020 por Daniel Danguy